25.11.08

ESTRÉIA!!!!


Uma das grandes emoções da minha vida foi ver minha primeira produção na telona... em Bejucal, Cuba!!!!
E os aplausos dos espectadores...

23.11.08

PRÊMIO AMSOP DE COMUNICAÇÃO 2008


A revelação dos vencedores aconteceu no dia 20 de novembro, no Santa Fé Clube de Campo em Francisco Beltrao. Na foto estou com a repórter Karoline Pain, colega de emissora e nossos troféus.
É a mulherada fazendo jornalismo de qualidade. Parabéns a todos os premiados.

Fazendo cinema em Cuba

Receber um e-mail com a notícia de que meu currículo havia sido selecionado pela Escola Internacional de Cinema e Tv em Cuba, em dezembro de 2007, foi um dos momentos importantes da minha vida profissional. A especialização em produção de documentário que até então parecia devaneio de uma jornalista com experiência, mas recém saída da faculdade, agora se transformaria em algo real.
A EICTV é uma das instituições não-governamentais mais importantes do mundo em produção de cinema e tv e também emc formação e direção de atores. Criada em 1985 pelo Comitê de Cineastas da América Latina e presidida pelo escritor Gabriel Garcia Márquez, pertence à Fundação do Novo Cinema Latinoamericano e recebe jovens da América Latina, Caribe, África, Ásia, Oceania e Europa nos cursos regulares de cinema, além das oficinas de especialização, como a minha, de Documentário.
Foi neste lugar praticamente isolado de Cuba, em uma área rural no pequeno município de San Antonio de Los Baños a 40 quilomentros de Havana, que passei três semanas da minha estada em Cuba. Aqui, gente do mundo inteiro fala a mesma língua: cinema. Na minha turma de Documentário, por exemplo, havia produtores de TV, documentaristas e jornalistas espanhóis, italianos, chilenos, argentinos, cubanos e brasileiros. Além de todo o conhecimento que a EICTV me proporcionou em teoria e prática, a convivência com pessoas tão experientes em áreas específicas da produção audiovisual foi o que mais valeu a pena.

A ilha de Cuba

Cuba é uma nação cheia de encantos e contrastes. Desde as praias maravilhosas, passando pela arquitetura exuberante de Havana, até os pequenos “pueblos”, municípios distribuídos ao longo da ilha onde a população vive de maneira muito simples, sem acesso às novas tecnologias, internet, poucos telefones fixos e quase nenhum aparelho celular. Os carros são da década de 50, o que sobrou antes da revolução e do bloqueio econômico. Os veículos novos, inclusive os táxis, pertencem ao governo. Os taxistas de Cuba, assim como a maioria dos profissionais com formação superior, recebem salários que não passam dos 30 dólares. O turismo é a oportunidade de faturar um pouco mais. Por isso não é raro encontrar motoristas psicólogos, engenheiros ou médicos.
Os cubanos são muito acolhedores. Logo nos convidam a entrar nas casas, tomar um café fresco, ouvir histórias ou fazer trovas. É um povo que valoriza muito sua cultura, gosta de se reunir na praça central aos finais de tarde para conversar, beber rum ou cantar. O tempo dedicado às atividades sociais ainda não foi substituído pela rede mundial de computadores. No pueblo de Bejucal, onde gravamos documentários, há cerca de 20 mil habitantes. Apesar de pequena, a cidade tem teatro, cinema, centro cultural e ensino gratuito de instrumentos musicais e até canto lírico para as crianças. Os cubanos adoram o Brasil e os brasileiros. Muito por influência da televisão que exibe nossas novelas. Admiram Jorge Amado, Paulo Coelho, e na música, cantores como Djavan, Caetano, João Gilberto, Tom Jobim. Muitos desejam morar no Brasil, movidos pelo sonho do país lindo, cheio de oportunidades e luxos, vendido pela televisão.
O contraste para mim vem do que os turistas conhecem. Para os visitantes os hotéis são luxuosos, os carros são novos. O roteiro dos passeios não inclui as construções que desmoronam na periferia de Havana por falta de manutenção ou a simplicidades dos pueblos onde estão escondidos alguns dos maiores tesouros de Cuba.
Para quem realmente deseja conhecer o país socialista, recomendo o contato com o povo. As praias são exuberantes, sim, e é muito bom passar algumas tardes sob o sol escaldante tomando uns "mojitos", naquele mar transparente e com águas mornas ou conhecer monumentos históricos. Mas conhecer a cultura, os hábitos dos cubanos, passar um final de tarde na praça conversando como os moradores... isso não tem preço!

Quem sou eu

Minha foto
Pato Branco , Paraná, Brazil
Jornalista da Tv Sudoeste, Rede TV! uma das emissoras da Rede Celinauta de Comunicação.