18.12.09

Enfim, MULHERES REAIS!! Calendário reúne fotos de modelos gordinhas.

Editora lança produto para dar mais visibilidade a modelos acima do peso

Modelos de manequim 44 posaram para fotos sensuaisInício do ano é época de lançamento de calendários, vários deles ilustrados com fotos de mulheres bonitas e magras. Para sair do lugar-comum, a Haz Editora lança no próximo domingo (20) um calendário-pôster com gordinhas, intitulado Mulheres Reais 2010.
Modelos que usam manequim maior que 44 participam do projeto que tem como objetivo estimular a autoestima das mulheres com sobrepeso e conquistar visibilidade para modelos de tamanhos diferentes do padrão.
As fotos foram inspiradas no universo das pin-ups e as mulheres, além de trabalharem profissionalmente como modelos (em desfiles, fotos de revistas e anúncios), têm outras profissões. Talita Kobal é estudante de comércio exterior, Andréia Gomes é psicopedagoga, Janaína Sousa é estudante de administração e Samara Sant’Ana é analista administrativa.

AÇÃO SOCIAL DE NATAL!!!

Pessoal, estou mobilizando amigos para adotar uma instituição de assistência aos idosos de Pato Branco neste Natal. São 34 idosos. O Luciano Linhares (da Rozimbo) vai dar as cestinhas de doces, como já faz há alguns anos, e eu agora estou convocando meus amigos para cada um adotar um idoso e também dar um presente. São coisas simples, do tipo bijouterias, camisetas, bonés, chinelos... Vamos fazer a entrega no dia 23 às 18h, com papai Noel e tudo, e dar um pouco mais de alegria a eles neste Natal. Quem quiser participar manda um e mail com número de telefone para mim no marilenachociai@yahoo.com.br
VALEUUU!!!

14.12.09

Nova data para o Clube da Foto

Como a área de saltos do pessoal do paraquedismo de Pato Branco foi cancelada, a maratona do Clube da foto também teve que ser adiada. Ainda não temos data definida, mas assim que houver alguma novidade coloco aqui. Grande abraço e sejam todos bem vindos ao clube da foto de Pato Branco!!! O nosso blogue é www.clubedafotopatobranco.blogspot.com

Projeto Formando Cidadão

video

O projeto "Formando Cidadão" também pode ser implantado no seu municipio. Converse com seus vereadores, com seu prefeito, com o representante da Polícia Militar na sua cidade e vamos dar uma oportunidade como esta para nossos adolescentes!!!

12.12.09

INTERNET: QUEM TEM PRIVACIDADE?

O assunto desta semana em nove entre dez reuniões de amigos em Pato Branco foram as fotos espalhadas por e-mails de casais transando em uma sessão de swing.
Não vou aqui discutir o fato em si, nem tenho nada a ver com isso.
O que me deixou muito intrigada, aliás isso acontece toda vez que fotos ou vídeo de alguém caem na internet, foi imaginar a maneira como este material foi parar na rede.
Também serviu pra percebermos o poder da tecnologia, a facilidade como uma informação se espalha de maneira assustadoramente rápida e desordenada.
Meus amigos, desliguem suas web cams!!! Arranquem arquivos indiscretos dos seus computadores!!!
Ouvi dizer que há casos e casos onde o material é jogado na net por pessoas que seriam responsáveis pela assistência técnica das máquinas. Por isso, não espere dar pau no seu computador para tomar uma atitude.
Qualquer um de nós está sujeito a uma tragédia dessas por mais simples que sejam os arquivos invadidos.
Digo tragédia porque a sociedade não está preparada para aceitar determinadas posturas. Ainda é preconceituosa, julga e condena.
Prefiro pensar que deve atirar a primeira pedra quem nunca errou.
Certamente as famílias envolvidas vão pagar um preço alto por toda esta situação.
Espero que os responsáveis também.

8.12.09

Mostra de vídeo experimental da Fadep

Na noite desta quarta-feira, 09, serão exibidos os curtas produzidos por acadêmicos para a 2a Mostra de Vídeo Experimental da Fadep - Faculdade de Pato Branco. A realização é do Curso de comunicação Social. Vale a pena conferir o que esta galera anda criando com mídias alternativas como máquinas fotográficas digitais e aparelhos celulares.

Maratona do Clube da Foto Pato Branco

Pessoal, neste sábado, 12, vamos realizar a primeira maratona fotográfica do nosso Clube da Foto de Pato Branco. Pegue sua máquina, digital ou analógica, simples ou poderosa e vamos nos divertir! O encontro está marcado para as 10h no Aeroporto Juvenal Cardoso onde será realizada área de saltos da galera de paraquedismo durante o dia todo. Depois vamos postar as fotos mais legais de todos no nosso blog http://www.clubedafotopatobranco.blogspot.com/Pra participar do nosso Clube basta ser apaixonado por fotografia. Apareçam lá!!!!!

4.12.09

MATAR POR AMOR...

Esta semana, na cadeia de Palmas, conheci o Pedro, Pedro dos Santos.
Era o Pedro, mas poderia ser qualquer um de nós.
Um homem tranqüilo, simples, 26 anos.
Trabalhador rural, amargurado pelo amor não correspondido.
Amor que destruiu um coração, que trouxe ódio e sede de vingança para o homem.
Pedro amava sua esposa.
Construiu um lar, formou uma família.
Para dentro de casa, orgulhoso, trouxe um amigo.
Era uma família feliz, o amigo gostava de estar entre eles.
O amigo era cada vez mais presente.
Tão presente que já nem precisava mais da presença de Pedro para estar lá.
Tornou-se íntimo. Presença constante.
Tão constante que a esposa confundiu-se.
Trocou Pedro pelo amigo, iludida foi embora com o outro.
Pedro, desiludido também decidiu partir.
Mas um dia voltou.
E quando voltou, a mulher amada vivia com o amigo na casa de Pedro.
Dormia com ela na cama de Pedro.
Ele tinha tudo o que Pedro perdera.
O sentimento confundiu-se no peito do homem.
Era posse? Era perda? Seria amor?
Pedro, possuído e cego pelo ódio decide se vingar.
Mata o amigo a queima roupa. Tem piedade da mulher.
Ela presencia tudo sem reação.
Pedro está na cadeia, arrependido da insanidade.
E quem somos nós pra julgar?
Quem nunca se sentiu trocado como o Pedro, que atire a primeira pedra.
Não julgo, não condeno, não absolvo.
Simplesmente entendo...

(esta história é um fato verídico, registrado em Coronel Domingos Soares no dia 01.12.09)

3.12.09

PEC do Diploma passa na CCJ do Senado

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou na quarta-feira o parecer do senador Ignacio Arruda (PCdoB/CE) à Proposta de Emenda à Constituição 33/2009 que restaura a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de Jornalista. Após vencer pequena resistência de alguns senadores do DEM, o projeto de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE) vai à mesa do Senado. A vitória no Senado segue-se à aprovação na CCJ da Câmara de proposta de teor semelhante. Na versão do Senado, fica ressalvado expressamente o direito de que colaboradores (pessoas sem formação e sem vínculo empregatício com o veículo) possam se manifestar livremente nos veículos sobre seus ramos de especialidade – a exemplo do que já ocorria com a regulamentação então vigente.
fonte: sindijor pr / 03.12.09

28.11.09

PRÊMIO AMSOP DE COMUNICAÇÃO 2009




Ontem foi realizada a entrega dos troféus aos vencedores do Prêmio Amsop de Comunicação.
Eu conquistei mais dois troféus e a galera da TV Sudoeste levou todos na categoria tevê (tinha cinco emissoras competindo).
Foi uma semana de muitas vitórias e alegria para todos.
O resultado em tevê foi o seguinte:
TEMA LIVRE
1o - Juliano Mitrut
2o - Tiago Tessaro
3o - Marilena Chociai
TEMA "CULTURA"
1o - karoline Paim
2o - Ari Lima
3o - Marilena Chociai
Parabéns pra toda a equipe da TV Sudoeste!!!!!

26.11.09

PRÊMIO OCEPAR: VENCEMOS!




Hoje foi um dos dias mais emocionantes da minha vida profissional.
Estivemos em Curitiba no Encontro Estadual de Cooperativistas, realizado no Teatro Positivo, onde também aconteceu a revelação dos vencedores do Prêmio Ocepar de Jornalismo
Eu sabia que estava entre os três primeiros, mas o anúncio do primeiro lugar me deixou muito emocionada.
Nestas horas passa um filme na cabeça, a gente lembra das pessoas que amamos, do orgulho que elas vão sentir. Lembrei dos meus pais, dos meus filhos, queria que estivessem comigo.
Porque aquele prêmio é a prova material de que tantas horas de estudo, de viagens para fazer especialização, de ausência em casa, valeram a pena.
Também estou feliz por poder dar à empresa (TV Sudoeste) que acredita em mim e na minha equipe, a resposta por tantos incentivos que recebemos.
Enfim, obrigada a todos que torceram por mim.
E parabéns ao colega Edson Honaiser da Rádio Celinauta, que recebeu o Prêmio Especial Ramo Saúde.

O resultado em telejornalismo foi o seguinte:

1º LUGAR - TV SUDOESTE - REDE CELINAUTA DE COMUNICAÇÃO - Autoria: MARILENA CHOCIAI - Tema: "Cooperação, da escola para a vida";

2º LUGAR - RPC - TV OESTE / CASCAVEL - Autoria: PRISCILA LUPARELLI, EDNA DE SOUZA E LUIZ HAAB - Tema: "Cooperativa Sustentável";
3º LUGAR - RIC RURAL - RIC TV - Autoria: SÉRGIO MENDES - Tema: "O que está por trás do rótulo de um produto feito por uma cooperativa do Paraná".

24.11.09

FINALISTAS DO PRÊMIO OCEPAR DE JORNALISMO

Foram conhecidos nesta segunda-feira (23/11), a relação dos profissionais e veículos de comunicação finalistas ao VI Prêmio Ocepar de Jornalismo. Cada um dos selecionados foram convidados a comparecer na quinta-feira, dia 23/11 no Teatro Positivo, as 15h30 para a solenidade de anúncio dos vencedores do 1º, 2º, 3º lugar e prêmios especiais ramos saúde e ramo crédito. Neste ano, o prêmio contou com a inscrição de 82 trabalhos nas categorias Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Mídia Cooperativa. Segundo o coordenador da Assessoria de Comunicação do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho, os membros da Comissão Julgadora afirmaram que neste ano a disputa foi bastante acirrada devido a qualidade dos trabalhos apresentados. "Com certeza foi um dos julgamentos mais detalhados que tivemos em todas as edições já realizadas. Para nossa satisfação a categoria mídia cooperativa, que premia os trabalhos inscritos por colegas que atuam nas assessorias de imprensa das cooperativas, vem se especializando cada vez mais, mostrando sua força em melhor divulgar as principais ações realizadas pelo sistema cooperativista", lembrou.

Julgadores - A Comissão Julgadora foi composta pelos jornalistas Márcio de Oliveira Rodrigues, Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná - Sindijor; Roberto Monteiro, da assessoria de comunicação do Instituto Emater-PR; André de Oliveira Franco, diretor da Associação de Jornalistas do Agronegócio do Paraná (Ajap) e Elvira Fantin, da diretoria de comunicação da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), além do engenheiros agronômos, Flávio Turra, Gerente Técnico Econômico do Sistema Ocepar e Leonardo Boesche, Gerente de Desenvolvimento Humano Sescoop/PR. Os trabalhos da comissão foram coordenados pelo jornalista do Sistema Ocepar, Samuel Z. Milléo Filho.
Finalistas:
1. Jornal Coamo - Autoria: Vanderlei Maciel Camargo - Tema: "Integração lavoura pecuária: coprodução rentável e sustentável";
2. Revista C.Vale - Autoria: Sara Ferneda Messias - Tema "Cooperativismo: abrigo contra problemas da economia e do clima";
3. Revista Frimesa - Autoria: Elis D'Alessandro - Tema: "Os efeitos da cooperação";
4. Rádio Celinauta - Autoria: Edson Honaiser - Tema: "Combate à mortalidade infantil e compromisso com o social: marcas da Unimed no Sudoeste";
5. Rádio CBN Curitiba - Autoria: Fabio Tomich Buchmann - Tema: "Cooperativas: produção e qualidade";
6. Rádio CBN Maringá - Autoria: Luciana Peña - Tema: "Agroindústria no Paraná: emprego, renda e qualidade";
7. Rádio Banda B - Autoria: Denise de Mello - Tema: "Do campo à mesa - leite paranaense com garantia de qualidade";
8. Jornal Gazeta do Povo - Autoria: Luana Gomes - Tema: "Hora de cooperar";
9. Jornal Gazeta do Povo - Autoria: Guido Orgis - Tema: "Cooperativas querem 10% do setor financeiro";
10. Boletim Informativo Faep - Autoria: Cynthia Calderon - Tema: "Malte. A alma da cerveja";
11. Revista Geração Sustentável - Autoria: Juliana Cristina Sartori - Tema: "A moda verde invade passarelas e vitrines";
12. RIC Rural - RIC TV- Autoria: Sérgio Mendes - Tema: "O que está por trás do rótulo de um produto feito por uma cooperativa do Paraná";
13. TV Sudoeste - Rede Celinauta de Comunicação - Autoria: Marilena Chociai - Tema: "Cooperação, da escola para a vida";
14. RPC - TV Oeste - Autoria: Priscila Luparelli - Tema: "Cooperativa Sustentável".

fonte: imprensa/ ocepar

23.11.09

Prêmio Ocepar de Jornalismo

Eu e o jornalista Edson Honaiser estamos entre os finalistas do Prêmio Ocepar de Jornalismo, realizado pela Organização das Cooperativas do Paraná. Eu em TV (TV Sudoeste) e ele em Rádio (Celinauta AM). A entrega dos prêmios será quinta, 26, em Curitiba. Torçam pela gente!!!

16.11.09

É Natal!

A cidade de Pato Branco está linda!
Só pra dar um gostinho estou postando uma foto que peguei com a Assessoria de Imprensa da prefeitura (Da Graxa). Prometo postar outras nos próximos dias.

É possível fazer cultura em cidades pequenas, sim!

video

13.11.09

Natal de Luz

Neste sábado será realizada a abertuda do Natal de Luz em Pato Branco. A festa acontece a partir das oito da noite na praça da Matriz com chegada do Papai Noel e apresentações artísticas. Vale a pena confeir. Nossa cidade está lindíssima, conseguiu superar a decoração do ano passado, que já era bonita demais.
Quem nao puder vir sábado, venha outro dia. Traga a família para dar um passeio pelas ruas do centro, tirar umas fotos...
No começo eu impliquei com os soldadinhos mas agora juro que ficou bonito!!!
Vou fazer umas fotos nesta semana pra postar aqui.

7.11.09

O lado oculto da notícia

Se aos leitores, telespectadores e ouvintes de rádio fossem revelados os antecedentes e os bastidores da notícia, os cidadãos para quem os jornalistas escrevem e falam ficariam mais aptos para a relação crítica com o jornalismo. E descobririam que o jornalismo de hoje é marcado pelo poder competente das fontes – algo que jornais e jornalistas se empenham em esconder dos seus públicos.

(do blog do Prof. Carlos Chaparro, link nos meus favoritos)

6.11.09

QUEM É O LIXO?

Mais de uma semana depois da enchente, autoridades municipais se mobilizam em um grande mutirão contra a dengue.
A ideia é fazer um arrastão por todos os bairros e recolher tudo quanto é lixo acumulado, principalmente recipientes que podem acumular água e proliferar larvas de mosquitos transmissores da doença.
Para isso o municipio conta com a boa vontade da população que precisa pelo menos tirar o lixo dos seus quintais para que seja recolhido pelas máquinas.
Atitude louvável! Até porque ainda tem muita gente esperando que a prefeitura vá lá dentro das casas deles pra recolher os entulhos trazidos pela enxurrada.
E como tem entulho!
Dei uma circulada pelo bairro São João hoje e na casa de um morador o lixo está exatamente onde foi acumulado no dia da enchente. Ele não recolheu uma garrafa plástica sequer, nenhuma! E aí fica ele, filhos, sapos, ratos, todos convivendo naquele ambiente de sujeira. O homem, que está desempregado, me disse que está esperando a prefeitura ir lá limpar o terreno dele.
O que esperar de um povo assim, sem iniciativa?
Quem garante que não vão continuar jogando lixo nos córregos, na rua, pra entupir bueiros e rios novamente e provocar mais estragos?
E não é preciso ir até os bairros mais pobres pra ver exemplos desta falta de educação.
Outro dia, bem no centro da cidade, presenciei a atitude deplorável de um cidadão muito bem vestido, entrando no seu carrão, deliciando-se com seu sorvete depois de ter jogado a embalagem no meio da rua, no chão, logo que saiu da panificadora.
Fiquei passada! Pior é que no carro do cidadão ainda tinha um adesivo da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Que vergonha para uma instituição tão respeitada!
Depois dizem que jogar lixo na rua é coisa de gente pobre e sem cultura!
Garanto que na próxima chuvarada, a embalagem do sorvete dele vai entupir bueiro e alagar lá os bairros mais pobres.
Quem é que vai pagar esta conta???

COOPERAÇÃO, da ESCOLA para a VIDA

video

1.11.09

NOSSA CULTURA IMPORTADA

Sábado foi dia de Halloween, a festa das bruxas!
Andando pela cidade, achei bonito ver a criançada fantasiada de monstro nas ruas, andando de casa em casa dizendo “doces ou travessuras”.
Por outro lado, fiquei curiosa sobre a origem desta tradição. Sem muito esforço, descobri na net que o "Halloween é um evento tradicional e cultural, que ocorre nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, e tem como base e origem as celebrações dos antigos povos."
Resumindo, o tal dia das bruxas é mais uma tradição importada por nós brasileiros.
O pior disso tudo é que conversando com as crianças fiquei sabendo que é a própria escola quem estimula essa cultura importada.
Tudo bem se a brincadeira é divertida para a molecada. Mas em vez disso, não dá pra escola inventar uma atividade no dia do Saci Pererê, por exemplo???
Seria bacana ver todo mundo numa perna só e dizendo: “doces e pulinhos”.
Continuo meu caminho de casa... e passo em frente da prefeitura. O prédio está bonito, todo enfeitado para o Natal. E neste ano está um pouco diferente. É que botaram soldadinhos ingleses para vigiar a porta. Soldados ingleses!!!!!
Será que nenhum soldado da guarda brasileira serve pra tal função?
Vai ver que o uniforme dos ingleses é mais alegrinho, tem vermelho.
Enfim, é mais legal reproduzir fantasias que vemos na tevê ou nos filmes de Hollywood, o povo gosta, acha bonito... ainda mais no Natal!
Só deixo aqui um pedido. Pense melhor na hora de montar seus pinheirinhos com suas crianças.
Nada de algodão, no Brasil não neva em dezembro!

27.10.09

O caos...






















O que virou minha linda Pato Branco, nesta tarde do dia 27 de outubro, depois de um temporal...
fotos: Joelma Lora Lambrecht / postadas no Orkut

22.10.09

Se puder sem medo

Deixa em cima desta mesa a foto que eu gostava
Pr'eu pensar que o teu sorriso envelheceu comigo
Deixa eu ter a tua mão mais uma vez na minha
Pra que eu fotografe assim meu verdadeiro abrigo

Deixa a luz do quarto acesa a porta entreaberta
O lençol amarrotado mesmo que vazio
Deixa a toalha na mesa e a comida pronta
Só na minha voz não mexa eu mesmo silencio

Deixa o coração falar o que eu calei um dia
Deixa a casa sem barulho achando que ainda é cedo
Deixa o nosso amor morrer sem graça e sem poesia
Deixa tudo como está e se puder, sem medo

Deixa tudo que lembrar eu finjo que esqueço
Deixa e quando não voltar eu finjo que não importa
Deixa eu ver se me recordo uma frase de efeito
Pra dizer te vendo ir fechando atrás da porta

Deixa o que não for urgente que eu ainda preciso
Deixa o meu olhar doente pousado na mesa
Deixa ali teu endereço qualquer coisa aviso
Deixa o que fingiu levar mas deixou de surpresa

Deixa eu chorar como nunca fui capaz contigo
Deixa eu enfrentar a insônia como gente grande
Deixa ao menos uma vez eu fingir que consigo
Se o adeus demora a dor no coração se expande

Deixa o disco na vitrola pr'eu pensar que é festa
Deixa a gaveta trancada pr'eu não ver tua ausência
Deixa a minha insanidade é tudo que me resta
Deixa eu por à prova toda minha resistência

Deixa eu confessar meu medo do claro e do escuro
Deixa eu contar que era farsa minha voz tranqüila
Deixa pendurada a calça de brim desbotado
Que como esse nosso amor ao menor vento oscila

Deixa eu sonhar que você não tem nenhuma pressa
Deixa um último recado na casa vizinha
Deixa de sofisma e vamos ao que interessa
Deixa a dor que eu lhe causei agora é toda minha

Deixa tudo que eu não disse mas você sabia
Deixa o que você calou e eu tanto precisava
Deixa o que era inexistente e eu pensei que havia
Deixa tudo o que eu pedia mas pensei que dava...

(Oswaldo Montenegro)
foto: marilena chociai

21.10.09

Alfabetização de idosos

video

Em Sulina, na região Sudoeste do Paraná, a parceria entre voluntários da comunidade e o poder público está conseguindo acabar com o analfabetismo entre jovens e adultos.

17.10.09

Sobre energias ruins...

Dizem que quando a gente gosta demais de algo acaba transmitindo energia para ele, boa ou ruim.
Às vezes a energia é tanta que o outro, quando muito frágil, não suporta.
É mais ou menos o que chamam de "olho gordo" ou "quebrante" nos bebês.
A criança fica assustada, tem espasmos, chora demais... coisas que toda mãe conhece bem.
Confesso que acredito muito nesta coisa de energia...
Hoje, por distração, tive a infelicidade de passar com o carro em cima da Peka, nossa cadelinha que encontramos abandonada na rua... Era o xodó da casa.
Como ainda era bebezinho, morreu na hora. Foi uma das piores sensações que tive na vida.
Os mais antigos dizem que quando a pessoa é "forte", está protegida contra as energias negativas, elas são canalizadas para o membro mais frágil da família, até mesmo para os animais.
Tive uma semana muito tensa, cheia de surpresas, de ansiedade.
Quero acreditar que o que aconteceu foi uma questão de energia, porque não posso suportar essa culpa.
Ontem mesmo recebi a bênção do Frei Policarpo, estava me sentindo tão bem.
Sei que existe uma lição ou um lado bom nisso tudo.
E que logo devo descobrir...

12.10.09

E a nossa geração?

Peguei plantão neste final de semana e tive o prazer de fazer a reportagem do encontro Geração 70, realizado em Pato Branco no domingo.
Tão bacana ver o pessoal que viveu a década de 70 por aqui, muitos moram em outras cidades espalhados pelo Brasil, se reencontrando, matando a saudade, rendendo homenagens a quem fez história na cidade.
Fiquei realmente emocionada com a alegria estampada nos rostos dos amigos se abraçando, contando histórias da vida.
Pelo que entendi, era uma moçada unida, na amizade, na cultura, no esporte e na boemia...
E a nossa geração?
Como estamos cultivando nossas amizades, nossa cultura, os nossos valores?
Que histórias teremos pra contar daqui alguns anos?
Voltei pra casa pensando no que de importante estou deixando para as novas gerações...
Diante de tantos bom exemplos, homenageados com o troféu "Geração 70", foi inevitável me sentir na mediocridade...
Porque tantas vezes trocamos a amizade por futilidades, valorizamos o supérfulo, esquecemos do próximo.
Vendo aquelas pessoas tão realizadas, pode parecer clichê, mas senti saudade do que ainda não vivi...

8.10.09

A lua da primavera

Vai alta no céu a lua da Primavera
Penso em ti e dentro de mim estou completo.
Corre pelos vagos campos até mim uma brisa ligeira.
Penso em ti, murmuro o teu nome; e não sou eu: sou feliz.
Amanhã virás, andarás comigo a colher flores pelo campo
E eu andarei contigo pelos campos ver-te colher flores.
Eu já te vejo amanhã a colher flores comigo pelos campos
Pois quando vieres amanhã e andares comigo no campo a colher flores
Isso será uma alegria e uma verdade para mim.
(Fernando Pessoa)

foto: Marilena Chociai 09.10.09

COMO INVESTIGAR GASTO PÚBLICO

Acabo de ser selecionada pela ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo para um curso de especialização sobre Como Investigar Gasto Público.
Estou feliz e tenho certeza que vou contribuir muito orientando nossa população.
Grande abraço!!

3.10.09

O nosso mal estar

Eu não sei o que está acontecendo com as pessoas...
Vejo que estamos cada vez mais trancados em nosso mundinho, preocupados em ganhar a grana pra sustentar nossos desejos, em cumprir o horário do trabalho...
O que será que está faltando?
Freud, no Mal Estar das civilizações, sustenta que esta busca desenfreada por mais e mais, em vez de nos satisfazer acaba nos deixando ainda mais angustiados no final.
O problema está em aprendermos a gostar o que conquistamos. Às vezes eu me sinto culpada por conquistar, por ter mais do que os outros.
Por outro lado, vejo tanta gente que batalhou uma vida inteira e não se dá o direito de relaxar, de fazer uma viagem, gastar um pouco consigo mesma. Parece que planejamos como conquistar o que queremos mas não nos preparamos para o sucesso.
Eu acho que deveríamos dispensar à nossa vida pessoal a mesma dedicação que temos pela nossa carreira, pra não chegar ao sucesso profissional desequilibrados, com a alma vazia.
Eis o desafio!!!
Meus amigos sempre me dizem que sou uma mulher bonita, inteligente, admirada... bem sucedida profissionalmente.
E eu fico pensando: o que está errado então?
Por que me sinto assim tão vazia?
Sei que sou humana como qualquer outra pessoa, com mais ou menos estudo, dentro ou fora da Tv.
Quero ser tratada assim, sem cerimônias, sem medo de falar algo errado, de escrever com erros de português, de não saber a cotação do dólar...
Quero alguém que goste do meu sorriso, do meu cheiro...
Que ache graça quando eu deixo queimar o jantar.
Que leve meu carro pra oficina, porque acho que isso é coisa de homem.
Gosto das coisas assim, simples, sem feminismos nem machismos.
Coisas que sejam gostosas pra todos... mesmo que isso signifique abrir mão às vezes.
Isso é cuidar da alma!
E parece que esqueci desta parte quando planejei minha vida.
Pior é que percebo que este sentimento de frustração emocional que tenho é cada vez mais comum entre meus amigos.
Será que ainda temos tempo?

27.9.09




"Eu quero a concentração e o romance, e todos os mundos juntinhos, fundidos, brilhantes: não tenho mais tempo para perder com prosa."

[ Virginia Woolf ]

26.9.09

CUIDADO, RANCOR MATA!!!

Outro dia li uma crônica fantástica no Diário do Sudoeste, do escritor patobranquense Vitor Hugo Ribeiro. No texto ele deixava bem claro a importância de não odiar.
Esta frase nunca mais saiu da minha cabeça depois daquele dia: “é bem mais fácil gostar das coisas do que não gostar”. Por exemplo, quando você vai à uma festa onde só toca música sertaneja (e isso foi direto pra mim que não gosto), quem sofre? Você que não gosta ou quem está se divertindo?
Quem está com raiva porque não gosta?
Quem está se remoendo?
E quando tem aquela reunião de parentes que você não suporta. Todos conversam , trocam energias e quem está sofrento?????
Pensando bem, Vitor Hugo Ribeiro tinha toda a razão. Achei tão importante que decidi plagiar a ideia aqui no meu blog, com todo respeito.
E digo mais: quando você odeia uma pessoa por qualquer motivo, quem sofre? Quem é que passa a viver em função de uma vingança ou algo parecido?
Quem deixa de fazer coisas produtivas por causa de uma mágoa?
A vida do seu ódiado continua meu bem! E muitas vezes bem melhor do que a sua!
Há algumas linhas de pesquisa que associam o desenvolvimento de câncer a pessoas que acumulam mágoas, rancores, frustrações ao longo da vida...
Então já temos um bom motivo pra começar a tentar gostar de coisas que odiamos.
Eu estou tentando. Sexta-feira até dancei sertanejo com meus amigos de Cascavel! E gostei!!!!
Recomendo que pelo menos a gente tente, não custa nada, né?
É bom derrubar preconceitos... ah se é!!!!

22.9.09

Jornalismo e marketing

Nesta semana de conflitos pessoais e profissionais, resolvi escrever um pouco sobre a autonomia de jornalistas nas suas reportagens.
E para chegar próximo, começo falando sobre marketing e suas ferramentas (implícitas ou não) na produção jornalística.
Quando falamos em Marketing é natural que o associemos a estratégias comerciais de uma empresa, que também existem nas nas empresas de comunicação.
Philip Kotler, no livro Administração de Marketing, define Marketing como “Um processo social por meio do qual pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo de que necessitam e o que desejam com a criação, oferta e livre negociação de produtos e serviços de valor com outros.”
A partir desta definição percebemos que fazer marketing não é apenas vender um produto. Existe uma série de ferramentas que podem nos levar a oferecer exatamente o que nosso público quer, ou então despertar nele a necessidade pelo que oferecemos.
Um dos grandes teóricos da Administração, Peter Drucker, explica que a meta do Marketing “(...) é conhecer e compreender tão bem o cliente que o produto ou serviço se adapte a ele e se venda por si só.” É como dizer que vendas são apenas um dos segmentos do Marketing. Primeiro é preciso estudar o cliente, no caso do jornalismo, o leitor, o ouvinte ou o telespectador. Saber o que o nosso “público alvo” quer, do que ele precisa, que tipo de informação vai satisfazê-lo.
Nas redações, as ferramentas do Marketing começam a ser usadas já na elaboração de pautas, quando são selecionadas notícias de interesse coletivo ou que possam satisfazer determinado público segmentado ou regionalizado.
É essa pesquisa de perfil que vai levar à criação de identidade entre público e veículo de comunicação. Identificação considerada tão importante que empresas de comunicação de abrangência nacional investem na criação e fortalecimento de sucursais para que estas, através do jornalismo local, abram mercado e novas possibilidades comerciais.
No processo de elaboração de notícias, o marketing também aparece na forma como construímos o texto, na escolha das fontes de informação, na objetividade, enfim, em todas as estratégias que tenham como objetivo atrair e conquistar o público.
Mas aí mora um grande desafio: até onde exatamente estas estratégias interferem na ética da produção jornalística?
O pesquisador Paulo Rodolfo de Lima, no seu Manual de Telejornalismo, diz que “Se a finalidade da empresa é geral lucro, a notícia corre o ricos de tornar-se uma mercadoria qualquer.”
É bem provável que, como eu, grande parte dos jornalistas viva diariamente estes conflitos entre o jornalismo que idealizamos e a linha editorial ou estratégias comerciais da empresa.
Algum de vocês já descobriu a fórmula para lidar com isso?
Eu estou tentando...

20.9.09

Ainda sobre o domingo...

Enviado pelo amigo Fernando Parracho em resposta ao meu domingo entediado...

domingo é um dia de luta
de doer e de curar
de perder e recuperar
momento de ler,
de escrever (e não rasgar o poema)
dia para a busca mais intensa de si mesmo
autoprocura eterna
caminho sem volta
dupla do eu comigo (e só)
domingo serve para almoçar
e fazer a digestão que a semana não permite
dia de cochilos históricos
dia em que a saudade parece doer mais
domingo passa devagar quando se está triste
voa, quando a felicidade aparece
um domingo se tece cada um a seu modo
com agulhas e linhas que houver
até chegar a noite
que aos domingos parece perdida
mas quando está distraída
se converte em partida,
recomeço
nova vida

O que esperar de uma tarde de domingo?

“Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite...”
Certamente você já ouviu esta música em alguma oportunidade e concordou totalmente com ela.
Adoro os sábados. Sempre há o que fazer. Nem que seja passar o dia todo no salão em função de se arrumar pro evento que você vai à noite.
Mas o domingo é difícil...
Depois do almoço com a família, que eu adoro, não há muito o que fazer.
Eu que não tenho namorado, tiro o dia pra ler, estudar, ver filme em casa, atualizar meu blog... Mas chega uma hora que já não me basto tanto assim.
Pior é quando você passa o domingo remoendo o que deu errado no sábado à noite!
A festa que estava uma droga, a paquera que não rolou...
Vamos tentar ver o lado bom.
Domingo é bom pra ir à festas do interior! Comer o churrasco com o pessoal, ficar pro bailinho à tarde. Sempre é muito divertido.
É dia de ir à missa. Renovar a fé, alimentar o espírito, pedir perdão pelos pecados que a gente quase nunca admite ter.
Ah, também é no domingo que começamos a planejar a semana, que na real se inicia mesmo é na segunda-feira. E cá entre nós, minha segunda-feira não vai ser fraca.
Bem, vou parar por aqui... Minha tarde de domingo está num tédio tamanho que nem pra escrever estou prestando.
Vou ver se vão passar algum filme no Teatro Municipal.

16.9.09

Meu dom de entender

Meu dom não é ser imparcial, isto é treino.
Meu dom não é ser natural, isto é preparo.
Meu dom não é ser ética, isto vem de berço.
Meu dom não é ser coerente, isto é estudo!
Uma vez uma pessoa em quem me espelho muito me disse: “quem não tem boa formação, não tem noção de limites. Fala o que quer, não ouve, julga, condena.”
Percebo que esta ausência de valores sempre vem à tona em situações extremas: de muita felicidade, de ambição, de grandes perdas, de ameaças, de impotência...
E basta nos policiarmos um pouco pra perceber o quanto nos achamos no direito de julgar o próximo. Condenar o suspeito, linchar o acusado...
Nesta semana vivi momentos de extrema tensão, dor e impotência.
Também vivi a angústia de ser julgada sem direito de defesa, num momento onde tudo o que eu queria era servir.
Mas tento entender que as pessoas são como são, carregam cargas emocionais de toda uma vida e nem sempre estas emoções foram benéficas.
De alguma maneira precisam constantemente jogar suas frustrações para o mundo, projetar no outro tudo aquilo de ruim que acumularam numa vida inteira.
Com minha profissão aprendi a sempre ver os dois lados mesmo em situações da vida pessoal.
Isso algumas vezes inclui aceitar as coisas como são e até tirar o time de campo se for necessário.
Deus me deu o dom da serenidade, de não perder a razão nestes momentos.
Também me deu o dom de amar, amar tanto a ponto de abrir mão pelo outro.
Sei que lá no final as coisas se ajeitam, que o tempo sempre resolve.
Que Deus mostra o caminho e nos dá discernimento quando temos fé e sabemos esperar.
Por isso meu choro não é mais de tristeza nem de decepção.
Choro apenas pela ausência e sei que isso logo vai passar.
E apesar de tudo sigo feliz, com a alma imensa e o coração aberto.

foto: Marilena Chociai

15.9.09

Neste momento em que a saudade dói demais...

...metade...

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste,
e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Porque metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também!

(Oswaldo Montenegro)
http://www.youtube.com/watch?v=ujQoUEdXr_8&feature=player_embedded#t=64

12.9.09

Quase primavera!

Minhas viagens por este mundão sempre me reservam gratas surpresas. Uma delas foi esta imagem maravilhosa que encontrei indo a Cascavel neste final de semana.
Não resisti à tentação de parar e fotografar.
A situação foi no mínimo engraçada: estava garoando, a terra úmida... e eu toda arrumada, de salto alto no meio da lavoura de trigo fotografando, rs.
(detalhe: o asfalto fica no lado de trás da árvore)
Por uma imagem desta eu faria tudo novamente!

9.9.09

UMA ANALOGIA DA INFORMAÇÃO

Assim como textos históricos aos quais temos acesso na atualidade foram construídos através de uma série de fatores que influenciaram a percepção do historiador, atualmente o fazer jornalístico também recebe interferências no seu processo produtivo que resultam em diferentes pontos de vista para um mesmo fato.
Veículos de comunicação têm linhas editoriais e ideológicas diferentes. Enquanto uns optam pelo sensacionalismo, outros tentam se aproximar da neutralidade pregada pelos manuais de redação e estilo.
No entanto, independentemente da linha editorial, o processo de construção da notícia passa por diversas etapas. Envolve equipes de pessoas com culturas diferentes e maneiras distintas de assimilar e interpretar os fatos, além das condições técnicas de produção.
No telejornalismo, a interferência na construção da notícia vai desde os ângulos escolhidos pelo cinegrafista na captação das imagens, passa pelo ponto de vista do repórter que colheu informações e decidiu quais sonoras seriam relevantes. Depois, pelo editor de imagens, até o editor-chefe que vai direcionar este conteúdo para determinado horário de telejornal ou público, muitas vezes influenciado pelas suas próprias percepções.
Por isso é comum vermos na tevê um fato noticiado em vts de tempos diferentes e com enfoques distintos.
Não podemos deixar de citar ainda que independentemente de como o fato é transcrito ou reportado, a maneira como o leitor ou o telespectador receberá esta informação também será influenciada pela sua carga cultural, emocional ou pelo seu contexto atual.
A forma como interpretamos e assimilamos um texto histórico, por exemplo, está diretamente relacionada ao conhecimento que temos sobre elementos que o compõem.
Por isso, a cada vez que relemos um texto descobrimos novas interpretações.

Baseado em texto de Benedito Costa Neto

Imagens de uma "quase-primavera"




Algumas imagens que fiz nestas andanças por lugares onde a natureza mostra seu poder, sem modéstia.











5.9.09

IMPASSES DA CRIAÇÃO


Nas últimas semanas tenho vivido uma espécie de bloqueio criativo. Quem acompanha meu blog deve ter percebido que ando relaxada nas atualizações.
É uma espécie de crise mesmo. Normalmente não consigo escrever, os "insites" não vêm como antes...
E quando escrevo, não gosto de nada.
Então hoje recebi um texto maravilhoso de Cássia Fragata sobre o tema, publicado na edição deste mês da revista da cultura: (http://www2.livrariacultura.com.br/culturanews/rc26/index2.asp?page=capa).

Achei interessantíssimo e como sei que muitos de vocês são um pouco artistas como eu, resolvi postar um fragmento dele.

IMPASSES DA CRIAÇÃO

Como disse Bernard Shaw, “a ansiedade e o medo envenenam o corpo e o espírito”. Se não se respeita o tempo da criação, a ansiedade pode acabar com ela.
Noites mal-dormidas, culpa e desespero se fazem presentes e aí a coisa desanda, paralisa. É a crise de criatividade gerada pelo próprio processo de criação. “Antigamente, eu ficava muito ansioso, muito preocupado, ficava tentando ver o que ia fazer, até o momento que falei: ‘relaxa’”, diz Ignácio de Loyola. “Enquanto você fica ansioso, acaba não encontrando solução nenhuma, ou encontrando soluções ruins ou ainda ficando cada vez mais bloqueado.”
Para o escritor, a falta de solução para o problema de um texto, roteiro ou letra de música prende e paralisa. “A ansiedade, às vezes, é criativa, mas não nesse caso.” Loyola lembra de Federico Fellini: “A coisa mais genial que conheço sobre uma crise se chama 8 e 1/2, do Fellini, é um diretor que não consegue átudo pronto e o filme não sai”.
Marcelino Freire precisa de paz para criar. “Não consigo criar se estou encurralado, triste demais, cabisbaixo... Fico pensando na crise, envolvido por ela, e não faço nadica de nada.” Opinião compartilhada por Jean Garfunkel. “A crise está ligada ao momento histórico do criador, de baixa ou alta autoestima, e o seu grau de expectativa de desempenho diante do desafio criativo proposto”, explica o compositor. “O processo criativo envolve um risco. O cara tem que se sentir confiante pra poder brincar, experimentar e errar sem medo do ridículo.”Nesse sentido, Calligaris ilustra com Freud. “Ele dizia que toda inibição, de qualquer tipo, é produzida por um excesso de erotização, ou seja, quanto mais a gente investe, digamos assim, energia, desejo em alguma coisa, tanto mais é fácil encontrar uma inibição.” E exemplifica: “Quando você acha um encontro importantíssimo, decisivo e pensa naquilo todos os dias, é muito provável que, primeiro, você se atrase, segundo, uma vez sentado à mesa, consiga derrubar um copo de vinho na pessoa com quem você está, e tudo vai acontecer exatamente porque você erotizou demais, investiu totalmente naquilo e isso acontece na criação sob forma de inibição criativa, de crise”, conclui o psiquiatra.


fonte: Livraria Cultura

30.8.09

O poder da transformação

Sempre ouvi dizer que para conhecer alguém de verdade basta dar-lhe poder.
E ao longo da vida tive “n” confirmações desta teoria.
É impressionante como as pessoas se revelam e o que são capazes de fazer quando acreditam estar “por cima”.
Vamos analisar no namoro, por exemplo.
Quando queremos conquistar, somos gentis, carinhosos, nos desdobramos para fazer coisas que podem impressionar o parceiro, por mais simples que possam parecer.
De repente, percebemos que o outro está apaixonado.
É como se eu já exercesse certo poder sobre aquela pessoa e então já não me dedico tanto.
Agora sim começo a mostrar quem realmente sou porque acredito que não preciso mais impressionar!
Até aí, tudo bem, até considero normal.
Mas algumas situações ainda conseguem me surpreender.
A política sempre proporciona cenas lamentáveis como as que estamos acostumados a ver pelos noticiários da tv, geralmente em nível nacional.
A guerra neste caso é bem mais preocupante porque além do poder e da conquista, envolve dinheiro e egos.
Neste final de semana presenciei um destes episódios lastimáveis da vida real, um pouco mais perto da gente.
No meio da disputa estava o patrimônio público, como sempre.
Na solenidade de posse do prefeito Hilário Andraschko, em Palmas, pessoas perderam a compostura, xingaram, gritaram, se ofenderam. Até agressão física rolou!
Me pareceu um círculo vicioso onde quem está no poder “se vinga” de quem já deu o que tinha que dar. Digo isso porque a antecessora, Joana D´ark de Araújo viveu algo parecido quando assumiu o poder público, há oito meses. Naquela ocasião, o ex-prefeito João de Oliveira também foi "expulso" do gabinete sob xingamentos dos opositores mais exaltados.
Não vou aqui questionar os méritos de agressores e agredidos, mas sempre acredito que este não é o caminho.
Será melhor usar o poder a partir de agora para mostrar como é possível realizar algo que realmente seja sinônimo de superioridade.
Os mandatos acabam, a história sempre se repete e às vezes os personagens mudam...

23.8.09

Algumas lições importantes

Lição nº 1 - Gestão do Conhecimento

Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair dele e está se enxugando. A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem ia atender a porta a mulher desiste se enrola na toalha e desce as escadas.
Quando ela abre a porta, vê o vizinho Bob em pé na soleira.
Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Bob diz: "Eu lhe dou 800 dólares se você deixar cair esta toalha."
Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Bob então entrega a ela os 800 dólares prometidos e vai embora.
Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto. Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro "Quem era?" - "Era o Bob, o vizinho da casa ao lado." - diz ela. "
Ótimo! Ele lhe deu os 800 dólares que ele estava me devendo?"
Moral da história: Se você compartilha informações a tempo você pode prevenir exposições desnecessárias!

Lição nº 2 - Chefia e Liderança:

Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na ruaencontram uma antiga lâmpada a óleo. Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio. O gênio diz: “Eu só posso conceder três desejos, então,concederei um a cada um de vocês".
"Eu primeiro, eu primeiro." grita um dos funcionários.
"Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ternenhuma preocupação na vida!"
Puf! e ele se foi.
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:" Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de pinas coladas!"
Puf e ele se foi.
"Agora você" diz o gênio para o gerente.
"Eu quero aqueles dois de volta aoescritório logo depois do almoço." - diz o gerente.
Moral da História: Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.

Lição nº 3 - Zona de Conforto.

Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada. Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta: "Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?"
O corvo responde:
"Claro, porque não?"
O coelho senta no chão embaixo da árvore e relaxa. De repente uma raposa aparece e come o coelho.
Moral da História: Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar sentado bem no alto.

Lição nº 4 - Motivação:

Na África todas as manhãs uma gazela acordava sabendo que ela deveria conseguir correr mais do que o leão se quisesse se mantiver viva. Todas as manhãs o leão acordava sabendo que deveria correr mais do que a gazela se não quisesse morrer de fome.
Moral da História: Não faz diferença se você é gazela ou leão, quando o sol nascer você deve começar a correr.

Lição nº 5 – Criatividade

Um fazendeiro resolve colher algumas frutas na sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas. No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras.
Ao se aproximar lentamente, observa várias garotas nuas se banhando na lagoa, quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam: nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.
O fazendeiro responde: eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!
Moral da História: A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos.

Enviado por Wagner Ferreira.

19.8.09

Vamos deixar Deus fora disso!!!

Eu não costumo discutir questões relacionadas às Igrejas porque existe algo importante em que acredito:
Se a Igreja (independentemente de religião) faz bem a quem frequenta, traz conforto, motivação, prosperidade, qual o problema em querer retribuir?
Não vejo nada de errado nisso. Cada um tem liberdade de decidir o que lhe convém. Aprendi que o que vale é a intenção!
Ou você doa agasalhos nas campanhas com medo de que depois eles sejam usados ou estragados?
Não tem gente que paga pra ver palestra de auto-ajuda? Não tem gente que compra livros motivacionais? Ou faz terapia? Então...
Cada um faz da sua vida e do seu dinheiro o que quiser.
Agora, se quem administra estes recursos está fazendo coisa errada, isso é problema pra polícia.
E se os recursos estão abalando o império do "cidadão Kane tupiniquim" era mais do que esperado que viesse alguma reação por aí.
Aliás, ninguém que vê seus projetos ameaçados fica esperando de braços cruzados.
De qualquer forma, eu sou sempre favorável à democratização. Da Igreja, do dinheiro e da mídia...

6.8.09

NOVA GRIPE MUDA ROTINA DE PATO BRANCO

video

Quando fiz esta reportagem, conversei com alguns fiéis. Todos chateados por não poder ir à Igreja, mas muito compreensivos. Entenderam perfeitamente os motivos que levaram à suspensão das missas presenciais.

A reação foi bem diferente com o público dos barzinhos e boates. Foi aquela chiadeira!!!

Todo mundo revoltado com a atitude do prefeito, se achando no direito de criticar aos quatro ventos.

Pelo que entendo, a questão é a seguinte: cada um faz a sua parte.

Existe um fato: todo mundo vai passar pela nova gripe um dia. Mas não precisa ser todos de uma só vez!!!

Se o municipio não tem estrutura hospitalar pra atender todo mundo ao mesmo tempo, então é melhor traçar estratégias pra que a população adquira a doença aos poucos e assim, todo mundo terá o atendimento necessário, concordam?

Se com aulas e eventos suspensos a procura por atendimento nas unidades de saúde já é grande e o municipio recrutou cinco novos médicos, imaginem se a maioria das pessoas ficar doente junta???

Eu não quero correr o risco, por isso prefiro ficar em casa sossegada nestes dias. Até porque, mesmo vacinada, peguei uma gripe que me derrubou.

Mas teve gente que foi badalar em outras cidades onde está tudo liberado.

Poderiam pelo menos ter ido fantasiados de Michael Jackson com sua máscara negra!

Muito bem, cada um faz da sua vida o que bem entender.

Se tudo der certo, estes "cidadãos" que foram pra outras cidades badalar, terão o atendimento necessário por aqui quando precisarem.

E eu desejo que não precisem, claro!

Sobre filhos...

1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.
2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar alguém com internet, som, tv, etc.
3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.
4. Confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.
5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.
6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai disse que não ganhará doce, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente. Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.
7. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.
8. Temos que produzir o máximo que podemos, pois na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio. Não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.
9. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente, pois aquela informação, de que droga faz mal, não está gerando conhecimento.
10. A gravidez é um sucesso biológico, e um fracasso sob o ponto de vista sexual.
11. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para da droga fazer uso. A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'.
12. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.
13. Homem não gosta quando a mulher vem perguntar: 'E aí, como foi o seu dia?'. O dia, para o homem, já foi, e ele só falará se tiver alguma coisa relevante. Não quer relembrar todos os fatos do dia..
14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.
15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.
16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se desistir ou for mal na faculdade.
17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.
18. Mães, muitas são loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).
19. Se a mãe engolir sapos do filho, a sociedade terá que engolir os dele.
20. Videogames são um perigo. Os pais têm que explicar como é a realidade. Na vida real, não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.
21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.
22. Pai não pode explorar o filho por uma inabilidade que o próprio pai tenha. 'Filho, digite tudo isso aqui pra mim porque não sei ligar o computador'. O filho tem que ensiná-lo para aprender a ser líder. Se o filho ensina o líder (pai), então ele também será um líder. Pai tem que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível o pai pagar para falar com o filho que mora longe.
23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. Não há hierarquia. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.
24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.
25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que saber qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto que isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.
26. Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Tem que controlar e ensinar a gastar.

(Palestra ministrada pelo Dr. Içami Tiba, Psiquiatra, em Curitiba, 23/07/08. )

28.7.09

blues da piedade

Agora eu vou cantar pros miseráveis
Que vagam pelo mundo derrotados
Pra essas sementes mal plantadas
Que já nascem com cara de abortadas

Pras pessoas de alma bem pequena
Remoendo pequenos problemas
Querendo sempre aquilo que não têm
Pra quem vê a luz
Mas não ilumina suas minicertezas
Vive contando dinheiro
E não muda quando é lua cheia


Pra quem não sabe amar
Fica esperando alguém que caiba no seu sonho
Como varizes que vão aumentando
Como insetos em volta da lâmpada

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem


Quero cantar só para as pessoas fracas
Que tão no mundo e perderam a viagem
Quero cantar o blues
Com o pastor e o bumbo na praça
Vamos pedir piedade
Pois há um incêndio sob a chuva rala
Somos iguais em desgraça
Vamos cantar o blues da piedade

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem.
(composição:Frejat / Cazuza)

26.7.09

FÁCIL É ESCREVER DIFÍCIL!

Quando comecei a fazer jornalismo há alguns bons anos, queria aprender a falar difícil como aqueles jornalistas experientes que eu invejava, ou como os radialistas que impostavam seus vozeirões e falavam, falavam... e a gente ficava ali ouvindo e imaginando coisas.
Eu queria ler muito, estudar muito, com o objetivo bem claro de escrever e falar tão bem quanto eles.
Durante a graduação em Jornalismo passei a questionar o que é escrever bem.
Será que um bom texto também tem aquele lance de que “depende do seu público alvo”?
Porque eu achava bonitos textos rebuscados, mas no fundo, eles eram complicados de entender.
É... Os tempos mudaram.
Agora temos a internet trazendo textos curtinhos, bem simples e rápidos, ideais pra quem não tem muito tempo disponível. Aí vem a Tevê e nos joga tudo pronto: texto objetivo que passeia sobre imagens atraentes, nem precisa pensar muito!
Meu desafio agora então não é mais escrever difícil e sim, ser compreendida pela grande massa que vê televisão e que se divide entre outras mídias, como a internet dos textos rapidinhos.
A dificuldade na construção de um bom texto passou a ser a síntese.
As pessoas não têm mais tempo para decifrar palavras difíceis, para ficar mais do que um ou dois minutos na frente da TV assistindo a uma reportagem.
Por isso, “escrever bem” se transformou na “arte de cortar palavras”, usar uma linguagem popular sem deixar o texto simplório, medíocre.
Mas até que ponto é bom entrar neste círculo vicioso de texto simples, rápido, fácil, que muitas vezes nem faz pensar, não questiona?
Não sei... Acredito que seja possível sim construir textos objetivos, atrativos e inteligentes ao mesmo tempo.
Ainda não descobri direito essa fórmula, mas sigo tentando sempre. Até porque minha inquietude não me permite sossegar em um estilo por muito tempo.
Nem deixar de questionar...
Enfim, como consumidores de mídia, não podemos esquecer que somos seres humanos, temos sentimentos, capacidade de pensar e decidir o que é bom pra nós.
Lembrem-se disso ao ler seu próximo texto ou ao ver a próxima reportagem na tevê!

17.7.09

Só uma mulher sabe o que é...

Passar a vida lutando contra o próprio cabelo
Lavar a calcinha no chuveiro e pendurá-la ali mesmo
Comprar uma blusa que não combina com nada só porque o preço estava bom
A impossibilidade de compreender qualquer manual de instrução
Fazer de tudo para não ser vista de óculos
Acumular coisas inacreditáveis dentro da bolsa
Ter que convencê-lo a usar camisinha
Ser tratada feito idiota pelo mecânico
Fingir naturalidade durante o exame ginecológico
Fazer depilação a cada 15 dias
Ficar infeliz porque não tem uma roupa que preste
A menstruação ter atrasado
Chorar na festa de fim de ano dos filhos
Fingir que não bebe água no gargalo
Fingir que não bebe!!
Não contar que já namorou 2 ao mesmo tempo
Ele nunca querer discutir a relação
ADORAR fazer compras
Sonhar em ter um marido rico
O poder de uma calça jeans para rediagramar a escultura do corpo
Ter que parecer natural após 2 horas no salão
Disfarçar uma noite de amor sem graça que ele insiste em perguntar se foi boa
Ser chamada de TIA!!!!!!!!!

fonte: orkut

13.7.09

O “MAL-ESTAR”

Uma mulher enlouquecida, uma frustração amorosa, uma justificativa para matar!
Qual é a explicação para tanta brutalidade?
Enquanto as coisas acontecem com outras pessoas, em outra cidade, em outro bairro, parece que estamos em outro mundo, protegidos, quase alheios à esta violência.
Mas de repente ela chega arrebatadora nos esfregando na cara o quanto somos frágeis. E leva aquela pessoa ávida por vida, por alegria, por paz!
E nós, ficamos feito bobos nos perguntando: por que?
Só peço a Deus que o convívio com este “mal-estar” da sociedade, esta busca incessante por mais e mais e melhor e melhor a qualquer preço, nunca me tire a capacidade de indignar-me com atitudes medíocres, como a que tirou a vida da minha amiga Dari.

12.7.09

PLÁGIO, PARA O "REI" PODE!

Em tempos de cinqüentenário da carreira do cantor Roberto Carlos, difícil mostrar algo inovador para quem é fã do “Rei” da música brasileira.
A Rede Globo tenta! Quem viu o videoclipe da música Detalhes, produzido pelo programa Fantástico, ficou encantado com o romantismo do audiovisual onde a escrita da letra da música surge e passeia suavemente sobre a atriz Mariana Ximenes ou se mistura às imagens e silhuetas do cantor.
Realmente, um efeito bonito de se ver.
Bonito, mas não novo.
A técnica chamada de palimpsesto, que corresponde à sobreposição de imagens através de recursos digitais, foi usada pelo cineasta Peter Greenaway no filme Prospero´s Book – A Última Tempestade, na década de 90, em uma adaptação da obra de Shakespeare para o cinema. O filme é complicado de entender, para quem gosta de semiótica, um prato cheio! Mas vale a pena pela inovação no uso de mídias digitais.
E não é só na TV que o cineasta é imitado. Outro dia, assistindo a um DVD da Madonna, percebi muita semelhança no uso de imagens nos telões e até na produção do Show com tudo o que há no filme.
É como diz o ditado: “Quem não cria, copia.”
Legal quando imitam quem tem qualidade, afinal, fãs do “Rei” Roberto e da “Rainha Pop” merecem, não?


Sobreposição de imagens no filme de Peter Greenaway.



O mesmo efeito utilizado no videoclipe de Roberto
Carlos para o Fantástico.

8.7.09

SEM OLHAR PRA TRÁS

Enviado pelo amigo Gerson Mioto, achei ótimo!
(clique sobre o desenho para abrir)



5.7.09

A dor da perda

Sempre que perdemos alguém muito próximo é natural refletirmos sobre o que estamos fazendo com a nossa vida e com quem está à nossa volta.
Venho de uma semana emocionalmente difícil...
E hoje, a notícia do assassinato de uma amiga muito querida me fez repensar muitas coisas.
Como por exemplo, o que motivaria o fim de uma vida tão intensa e feliz?
De uma jovem brilhante, cheia de sonhos e projetos de vida?
Olhando ela ali, naquele caixão, pálida e imóvel, tentei entender como é possível tamanha crueldade... foram cinco tiros, pelas costas, sem a menor chance de defesa.
Agora vejo uma família despedaçada, filhos sem mãe, amigos sem abraço, sem sorriso...
E por mais que deseje vingança, o que nessa hora é muito natural, nada vai acalmar a dor destes corações neste momento.
O que mais posso dizer?
Diga que você ama a quem ama, diga que sofre, que é frágil, que quer um abraço, um carinho.
Dê um beijo!
Porque depois que formos embora, isso é o que restará para confortar quem ficou...
Nem vingança, nem justiça, nem ódio... só isso!

Quem sou eu

Minha foto
Pato Branco , Paraná, Brazil
Jornalista da Tv Sudoeste, Rede TV! uma das emissoras da Rede Celinauta de Comunicação.