23.9.13

Os 10 mandamentos dos PERDEDORES


 1. Mais vale um pássaro na mão do que dois voando;

2. Pau que nasce torto morre torto;

3. Eu nasci assim, vou viver assim, vou morrer assim;

4. Deixa a vida me levar...;


5. Curta a vida agora. Amanhã não existe;

6. Melhor pingar do que secar;


 7. Acredite que só vence na vida quem se envolve em parada errada;

8. Acredite que só vence na vida quem abandona a família;

9. Não se arrependa por nada que tenha feito, mas somente pelo que tenha deixado de fazer;

10. Primeiro eu, segundo eu e terceiro eu de novo.
 

22.9.13

Apaixone-se por alguém de quem você vai se orgulhar. E que suporte o seu sucesso!

Às vezes a carência afetiva faz a gente se apegar a alguém que normalmente jamais nos chamaria a atenção na rua ou em qualquer outro lugar.
Alguém que surge quando você mais precisa de um papo consolador, que levante a sua autoestima, que te fáça sentir-se novamente amada e desejada.
E em tempos de relações virtuais, casos assim tornam-se muito mais possíveis.
Aí pra  nos apegarmos é um pulinho!
É como eu sempre digo: mulheres carentes são alvos fáceis!
Ainda mais se o carinha tem um repertório pronto de belas poesias e cantadas pra te fazer sentir-se melhor.
Nesta hora, todas deveriam ter um sinal vermelho que acendesse e as fizesse raciocinar sem emoção.
As primeiras perguntas que deveríamos responder antes da paixão nos devastar são:  Eu realmente admiro essa pessoa pelas virtudes dela?  Sentirei orgulho dela e de apresentá-la aos amigos e familiares? Sou capaz de aceitar o passado duvidoso dela?
Mas não...
A mulher carente precisa viver uma tórrida paixão, precisa "amar" desesperadamente e acreditar que essa loucura toda é amor e não uma obsessão - que vai passar assim que o próximo da fila chegar.
Aliás, que bom que a fila anda!
E anda pra todo mundo. Mesmo que você pense que seu mundo caiu com o fim da relação. 
Tomara que da próxima vez, pelo menos que aprendamos a lição e tentemos deixar acender a luz vermelha na hora certa.
Porque lá no final, quando a relação estiver ruindo, ela vai acender, tarde demais.
E lembre-se, você que também é mulher emocionalmente carente e profissionalmente bem sucedida: Aproveite para prestar a atenção se o o próximo da fila também vai suportar o seu sucesso profissional e a sua independência. Porque à certa altura da relação as diferenças culturais e socioeconômicas vão gritar.
Confesso que eu já  tive que ouvir  de um destes carinhas aí que ele não conseguia lidar bem com essa situação. Que se sentiria mais seguro estando com uma mulher mais simples, menos bonita, menos esperta, menos famosa, mais manipulável e menos solicitada...  E aí, vou dizer o que?
O jeito é aceitar que o seu "status" incomoda certa ala masculina e bola pra frente...
Como dizem por aí: aceita que dói menos rs
Mas que é no mínimo contraditório você passar a vida dedicando-se aos estudos e à carreira e ter que ouvir esse tipo de colocação à essa altura do campeonato, lá isso é!
Pra mim foi pior do que se  dissesse que nunca me amou rsrsrs

15.8.13

OPERAÇÃO 40 ANOS EM PLENO VAPOR!

Se eu tivesse consciência do bem-estar que a dieta e as atividades físicas me trariam, teria acordado muito antes!



Cinco meses de dieta: dez quilos a menos e corpo moldado na academia.
(sem remédios, sem cirurgia, sem photoshop) Foto: Dai Marder

8.7.13

Sobre a importação de médicos cubanos...


 Não quero criar polêmica, defendo que todas as categorias lutem por seus pontos de vista. Mas, eu passei um tempo em Cuba estudando cinema documental e conheci alguns brasileiros que fazem curso superior por lá...
Se no Brasil os pobres não têm acesso às faculdades de medicina e conseguem estudar em Cuba, eles estão errados? Se tem médicos sobrando por lá ...
e eles sonham trabalhar em um país com oportunidades, eles estão errados? Se há falta de médicos no Brasil, a lógica é preencher essas vagas. E se tem que fazer uma prova ou um treinamento com esses médicos pra validar seus diplomas, que façam!
No jornalismo também vivemos estas questões polêmicas por causa da falta de obrigatoriedade do diploma. Eu penso que há lugar pra todos. Quando posso, ajudo, ensino, estimulo os colegas de trabalho a estudarem pra exercer seu trabalho com responsabilidade. Não tenho medo da concorrência, por mais que seja considerada desleal.

20.6.13

Amar o trabalho é...

Levar mordida de uma cachorrinha guapeca durante uma reportagem e ainda achar graça disso tudo!

10.6.13

18.5.13



"Contra a ignorância, não há argumento que funcione.
O outro só vai enxergar o que sua carga cultural lhe permite."

(marilena chociai)

17.5.13

FOCO NO RESULTADO!

Meu corpo dói, queria ficar em casa, estava frio... mas fui treinar.
Queria comer alguma coisa calórica que compensasse o frio, mas resistí!
Fui pra academia, correr, suar...
Mas também, quem disse que seria fácil?
Nove quilos já se foram em quatro meses e ainda faltam alguns.
Já me acostumei com os músculos reclamando... com a vontade de calorias...
Mas estar saudável e voltar a usar aquele biquini no verão vale qualquer sacrifício!



Meta: chegar aos 40 com o corpo dos 20 - sem remédios, sem cirurgias.
Estou quase lá!!!

15.5.13

QUE FELICIDADE É ESSA?

Vejo aqui tantas mensagens sobre a felicidade, vejo tanta gente sempre tão feliz...
Será mesmo que estamos preparados pra felicidade?
Na vida real nos vejo correndo num círculo vicioso sempre em busca de algo maior ou melhor.
Seja juntar dinheiro, comprar um bem material, encontrar um grande amor.
E quando atingimos nosso objetivo, o que acontece?
Vejo tanta gente que b
atalhou a vida toda pra construir seu patrimônio e é incapaz de se dar o direito de fazer uma viagem pra relaxar...
Simplesmente continuamos insatisfeitos.
Mas por que?
Porque estamos alienados. A corrida se tornou a melhor parte, o desafio é buscar, correr atrás... construir!
Já me disseram que a felicidade está no caminho e não na linha de chegada.
Deus, me ensina a enxergar, a dar valor e a curtir o que já conquistei!

9.5.13

Entre a mulher e a jornalista, sentimentos se confundem diante de tamanha brutalidade

Ao longo dos meus quase 20 anos de jornalismo me deparei com histórias difíceis de encarar com neutralidade.
Uma das mais difíceis delas, foi quando um adolescente matou um jovem casal e abandonou a criança, uma menina, no meio de um matagal. A criança morreu de fome e frio. Foram dias de angústia em busca da criança desaparecida, até que o bandido foi apreendido e contou toda a história.  Lembro bem aquela manhã em que meu telefone tocou e recebi a notícia de que a criança tinha sido abandonada no mato. Fazia muito frio, fui até o quarto da minha filha, sentei na cama dela e chorei descontroladamente... Era impossível que uma criança tivesse restido ao inverno cruel de Palmas e Passos Maia (municipios vizinhos). Mas levar a informação exige força, por isso, deixei em casa a emoção e seguimos para as buscas, até que o corpo da criança foi localizado.


O menor acusado pelo crime, fugiu da prisão em SC algum tempo depois e foi recapturado em Palmas / PR. Mais uma vez tive que passar por cima de todos os sentimentos que ressurgiram e entrevistar o criminoso.
Era um jovem frio, não fez a menor questão de disfarçar a falta de qualquer tipo de arrependimento.
Contou que matou como quem mata uma mosca. Contou que largou a criança no mato como se deixa um cachorro na rua. Só que cachorro tem faro e sabe voltar pra casa...
A entrevista acabou. Lembro que me sentei na sala do delegado e tive outra crise de choro e estresse. Como pode um ser não esboçar qualquer sentimento diante da brutalidade que cometeu?

                                                         *
Com o tempo a gente pensa que nada mais nos surpreende até numa manhã ser chamada para outro plantão...
Mais mortes, mais crianças, outra família destruída.
Era um começo de ano, uma casa havia sido incendiada, numa comunidade rural de Enéas Marques.
Toda a família estaria dentro da casa. Quatro pessoas morreram queimadas, entre elas, uma adolescente e o irmão dela, um garotinho, de nove anos. O suspeito pelo crime: Gilmar Reolon, o pai.
Nestas horas, tenho o hábito de chegar no local do crime e ouvir, só ouvir...
Foram tantas histórias de vizinhos, de familiares... e todas levavam a uma única explicação: o homem teria matado a esposa, a sogra e os filhos, porque estava encrencado e cheio de dívidas.
Três anos depois, o crime foi esclarecido com a prisão do suspeito, que passou todo este tempo escondido no mato.

http://www.youtube.com/watch?v=RZFR9k3ojsM&list=UUcrBn7U86hqjdRRjmK7RtMg&index=21

Outro caso de grande repercussão foi o desaparecimento de uma criança indígena, da reserva de Chopinzinho. Não acompanhei o caso, mas por uma ironia do destino, no dia em que o corpo foi encontrado, a matéria caiu na minha mão.

http://www.youtube.com/watch?v=R6fGolzwaMs&list=UUcrBn7U86hqjdRRjmK7RtMg&index=2

Hoje, mais um crime bárbado repercute pela nossa região.
Um pai mata os três filhos pequenos a facadas e diz que matou porque eles estavam passando fome.

http://beta.portalrbj.com.br/noticia.php?id=10404

Tanta brutalidade, tantas justificativas...
Para mim que sou mãe, difícil de entender ou aceitar.
Para a jornalista,  dar este tipo de notícias com neutralidade é um grande desafio.




17.4.13

MULHERES CARENTES, ALVOS FÁCEIS

Amigas, estou escrevendo sobre mulheres carentes que buscam companhia na internet.
São histórias tão incríveis, engraçadas e absurdas que já ouvi e até vivi, que decidi registrar. Também estou elaborando um "manual de defesa da mulher carente na net". Se você tem uma história pra contar ou conhece alguém que tem, manda e-mail pra mim em marilenachociai@yahoo.com.br
Garanto que sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo.

15.4.13

15 anos!

          Esta semana minha filhota Laura fez 15 anos!
          Pois é, já não tenho mais crianças em casa...
          Quando eu tinha 15 anos, achava que era a dona do mundo, que sabia tudo, que era capaz de buscar tudo o que eu quisesse sem o menor temor.
          Hoje vejo minha filha tão frágil, mesmo sabendo da educação que ela teve, do caráter que tem, da determinação que é uma das suas maiores virtudes.
          Mas mãe é assim mesmo, tão mais velha, tão mais insegura.
          Filha, que Deus ilumine seus passos e te proteja.
          Todos os obstáculos que superamos pra chegar aqui felizes com o dom da vida, valeram cada noite sem dormir, cada minuto de angústia e incerteza, cada hora de superação!
          Amo você!
        

18.3.13

Foco nos resultados

Sempre defendi que a mulher tem que estar de bem consigo, com seu corpo, do jeito que estiver.
Sem se importar com os padrões da sociedade.
Mas confesso que o excesso de peso andava me incomodando ultimamente.
O melhor que fiz foi encarar a coisa como uma doença. Sim, doença!
Eu estava obesa e precisava admitir.
Fiquei anos passando longe da balança.
Cheguei ao cúmulo de pedir pra médica não me contar meu peso nos check ups.
Era uma fuga...
Uma fuga que só fez aumentar o problema.
Depois de muitas dietas mirabolantes que alguém fez e disse que eram boas, resolvi fazer a coisa certa: dieta assistida por profissionais.
Procurei um médico para os exames iniciais, ele me encaminhou para nutricionista. Paralelamente faço treinos na academia com personal três vezes por semana e massoterapia uma vez por semana.
Sei que isso exige investimento financeiro, mas uma calça que eu deixe de comprar com número maior por mês já compensa o investimento.
Estou feliz!
Feliz por descobrir que sou capaz de atingir minha meta (e da minha equipe de profissionais) de perder peso.
Estou entrando no segundo mês de dieta com cinco quilos a menos.
E a diferença no meu corpo é enorme!
Fico imaginando quando atingir a meta a longo prazo - 20kg em seis meses.
Por que estou tornando isso tudo público?
Porque sei que muitas mulheres sofrem caladas, como eu sofri com vergonha, com angústia, com preconceito por eu ser uma "gorda na tv".
A melhor parte é que estou me sentindo bem, disposta e saudável.
A atividade física me proporciona uma sensação incrível de bem estar.
Gostaria que minha experiência servisse pelo menos pra motivar alguém, nem que seja só um pouquinho...

10.2.13

SONHO, DESEJO E LUTO POR ISSO!!!

Para Viver Um Grande Amor
Vinicius de Moraes


Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.



Texto extraído do livro "Para Viver Um Grande Amor", José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1984, pág. 130.

9.2.13

DIETA JÁ

 
Depois de muitos regimes mirabolantes e radicais, resolvi fazer a coisa certa.
Procurei médico, nutricionista, personal trainer e esteticista.
O combate a partir de agora será geral e da forma correta.
Ah, detalhe, sem medicamentos!
Até tirei uma foto do almoço de hoje, tamanha a motivação.
No mais, força de vontade e muita malhação afinal, a meta são 20 quilos!!!
Torçam por mim!
 

4.2.13

COOPERAR, UMA QUESTÃO DE ATITUDE

Reportagem de Marilena Chociai, José Carlos Tumelero (cinegrafista) e André Lessei (editor), vencedora do Prêmio Sebrae de Jornalismo etapa estadual (PR) 2012.
Uma das vencedoras do Prêmio Ocepar de Jornalismo 2011.
 

1.2.13

Toda a magia da Ilha...

Amo a Ilha do Mel!
Sempre que posso passo uns dias lá. Aliás, vivi dias maravilhosos lá...
Desta vez, nestas férias, a visita teve outro tom.
Foi mais um exercício de desapego.
Precisava ir lá, curtir outras coisas...
Foi uma experïência diferente.
E a energia da ilha novamente exerceu o seu encanto sobre mim.
Saí de lá completamente renovada e, como sempre, muito feliz!



Quem sou eu

Minha foto
Pato Branco , Paraná, Brazil
Jornalista da Tv Sudoeste, Rede TV! uma das emissoras da Rede Celinauta de Comunicação.